Foie Gras, Escargot, Coq au Vin e Pinot Noir da Borgonha

“No vinho está a verdade!” Plínio

IMG_20170106_195426364.jpg

Introdução

Olá amigos, depois de viajarmos bastante sobre os vinhos do novo mundo (Uruguai, Chile, Argentina, Estados Unidos, etc), chegou a tão aguardada hora de começarmos a falar sobre os vinhos franceses. Conforme venho falando desde o começo, existe sempre um misticismo que envolve a França no quesito de vinhos. Isso se dá pelo fato que, apesar de existirem bons vinhos produzidos em outros países, em questão de quantidade e variedade nenhum outro país ganha da França. Em específico temos a região de Bordeaux e a Borgonha. E é por essa última que começaremos a falar de tamanha excelência!!

Vinho de escolha: Joseph Drouhin Bourgogne (Pinot Noir)

Conforme falei no meu primeiro post, a grande dificuldade de falar sobre os vinhos europeus é devido à infinidade de variedades e estilos de sabores deles. Então, de forma a sermos canônicos em nossa apresentação dos vinhos da Borgonha, partiremos do clássico, do ortodoxo: uma boa opção deles que irá representá-los todos de maneira genérica. Por isso a escolha pelo Joseph Drouhin.

IMG_20170106_180056791.jpg

Algo que nos ajuda, apesar disso, é a classificação AOC (Appellation D’Origine Contrôllée), que é uma espécie de ISO de altíssima qualidade. Ou seja, até mesmo os vinhos mais vagabundos que possuem essa sigla já podem ser considerados bons vinhos. Logo, tomemos nosso vinho e partamos para o restaurante de escolha: La Casserole.

IMG_20170106_180112770.jpg

IMG_20170106_180142269.jpg

logoCasse.png

fachada-ilustre.jpg

A escolha por esse restaurante e Bistrot deu-se por sugestão de um francês amigo meu que me falou que, se eu quisesse comer uma comida com o mesmo padrão de qualidade da França, aquele seria o lugar ideal.

Harmonização

Logo na entrada da casa, fui muito bem recebido pelo proprietário Leo Henry, o qual me deu muitas dicas bacanas e elogiou minha escolha de vinho!

IMG_20170106_191752374.jpg

IMG_20170106_191757876.jpg

IMG_20170106_191800260.jpg

IMG_20170106_191810847.jpg

Foie Gras

Um dos motivos que me levou a procurar o estabelecimento é o fato do Foie Gras ser proibido de vender no Brasil. A autorização é dada apenas para os restaurantes Franceses. Não vou entrar aqui no mérito da maldade que envolve esse tipo de comida, até porque ela é uma iguaria milenar. Mas o Foie Gras é o fígado gordo de ganso. Ele é consumido na maioria das vezes na forma de Terrine (uma espécie de patê). Uma comida por demasiado saborosa!

IMG_20170106_192438394.jpg

IMG_20170106_192515833.jpg

IMG_20170106_192612955.jpg

Escargot

Para o Escargot eu vou citar uma frase de Alex Atala:

28-04-2014_alex_atala_cred-_rubens_kato

“Se o caviar é considerado algo chique e o tucupi não o é, isso se dá porque alguém me disse isso. Existe uma interpretação cultural sobre o que são os aromas e sabores!” (Alex Atala)

IMG_20170106_194028330.jpg

IMG_20170106_194040647.jpg

IMG_20170106_194500269.jpg

Digo isto porque simplesmente não consigo entender porque esse tipo de iguaria é considerado algo chique. Não é que seja uma comida ruim, mas é totalmente desprovida de sabor. É borrachento e sem gosto, mas valeu pelo conhecimento.

IMG_20170106_195224310.jpg

IMG_20170106_195242395.jpg

Coq au Vin

E para o prato principal escolheremos esse que é um dos maiores exemplos da gastronomia francesa: o galo ao vinho. Reza a lenda que, durante a batalha de Alesia, Júlio César exigiu a total rendição dos Gauleses.

640px-Siege-alesia-vercingetorix-jules-cesar[1].jpg

Vercingetórix (a quem deu origem ao personagem famoso Asterix), respondeu a essa ordem com uma provocação: enviou um galo aos romanos.

1365599831_Statue22_zoom.jpg

Júlio César então cozeu o galo no vinho, que representava toda a expressão romana bélica e cultural. E assim nascia o Coq au Vin.

IMG_20170106_195426364.jpg

IMG_20170106_195433679.jpg

Digestif

Vamos terminar nossa noite da forma mais Francesa que existe: com Cognac.

IMG_20170106_212057207.jpg

IMG_20170106_212125476.jpg

Conclusão

Recomendo o restaurante! Pena que aqui no Brasil é tão complicado comer e beber qualquer coisa da França. Mas tudo com planejamento é importante. O vinho Joseph Drouhin é vendido aqui no Brasil no valor de R$ 300, mas consegui comprá-lo a meia garrafa numa promoção por menos de R$80.  A culinária Francesa também é bem diferente do que estamos acostumados no Brasil, o que faz com que poucos gostem do sabor, mas valeu pelo conhecimento!

Conheça todos os posts do blog através desse link

5 comentários sobre “Foie Gras, Escargot, Coq au Vin e Pinot Noir da Borgonha

  1. Pingback: Vale do São Francisco, Bulgária, Alentejo e o Melhor Uísque do Mundo – Vinhos e Afins para Leigos

  2. Pingback: Resumo dos posts divididos por seções – Vinhos e Afins para Leigos

  3. Pingback: Coq au vin, queijos e vinhos franceses, chartreuse e degustações de pinot noir – Vinhos e Afins para Leigos

  4. Pingback: Vinhos de Israel, culinária francesa e receita de steak tartare – Vinhos e Afins para Leigos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s