Camarão à Húngara, cerveja Deus e a champenoise brasileira Wäls

“Onde o bom vinho falta, encurta o espaço para o amor” (João Alberto Catalão)

IMG_20170429_183007362.jpg

Introdução

Olá amigos, hoje teremos um post que sairá um pouco do modelo ortodoxo já visto desde então. Sabemos que o foco do blog é em vinhos, mas hoje teremos um post levemente diferente: vamos falar sobre cervejas champenoises. Teremos uma exemplar belga produzida em champagne e uma brasileira da cervejaria Wäls. Para acompanhar essas maravilhas vamos fazer uma receita deliciosa: camarão à húngara.

Cervejas

Como é de costume no nosso blog, antes de falarmos sobre o evento e os vinhos do post, faremos um breve review de algumas excelentes cervejas. A primeira delas é eleita a melhor cerveja escura do tipo stout do mundo: a guiness.

IMG_20170413_200859881.jpg

IMG_20170413_200937868.jpg

IMG_20170413_201449225.jpg

A Guinness Draught é a cerveja stout mais consumida do mundo. É uma cerveja especial de cor negra e uma excepcional espuma densa e cremosa, que persiste durante toda experiência da degustação. Aromas e sabores de café e chocolate amargo bastante presente a tornam uma cerveja irlandesa referência do estilo stout.

IMG_20170428_201016798.jpg

IMG_20170428_201024288.jpg

IMG_20170428_201414262.jpg

IMG_20170428_201805788

A segunda é uma brasileira muito especial. A cervejaria coruja é um exemplo de qualidade não apenas no Brasil mas no mundo todo. E esse exemplar de trigo é levemente diferente das tradicionais weizen por conter maltes defumados e um leve toque de pimenta do reino. Vale a pena experimentar.

Cervejas champagne

Afinal, é um champagne ou uma cerveja? Garrafa típica de espumante, remuage, segunda fermentação em garrafa, estágio em caves francesas, perlage etc. Assim são as características dessas bebidas. A história das cervejas Champenoise começa com a lendária DeuS, produzida pela cervejaria Bosteels – fundada em 1791, na cidade de Buggenhout, na Bélgica. A DeuS é produzida na Bélgica e depois transferida para a França (Epernay), onde passa pelo processo Champenoise, fazendo uma segunda fermentação na garrafa, passando meses em caves dos melhores espumantes franceses.

deus_cerveja4.jpg

Na mesma linha vêm as cervejas Malheur. A história cervejeira da família Malheur iniciou-se em 1839 e a cervejaria, que também fica em Buggenhout, foi construída em 1997, num prédio do século XVI onde funcionava outra cervejaria.

1290_MalheurBrut_1277923595.jpg

As cervejas Malheur são todas Ales (alta fermentação), vivas e refermentadas na garrafa onde os fermentos continuam vivos após o engarrafamento, possibilitando que seus sabores evoluam com o tempo. Além disso, são produzidas utilizando-se flores de lúpulo in natura. Foi o mestre-cervejeiro da Malheur, Luc Verhaeghen, quem desenvolveu em 2001 essa técnica a partir de várias visitas à região de Champagne, onde estudou os métodos de produção e, principalmente, de condicionamento de garrafas lá utilizados. Inicialmente, suas tentativas foram recebidas com ceticismo, mas, depois, receberam uma grande ajuda do Epernay Oenologique Institut, que forneceu o fermento e viabilizou a aquisição dos grandes pallets giratórios que completam trinta e seis movimentos em sete dias. Mas sem sombra de dúvida foi a DeuS quem conseguiu popularizar o estilo no mundo todo inclusive recebendo diversos prêmios:

  • Medalha de prata na World Beer Cup nos Estados Unidos em 2002
  • Prêmio de “Beer of the Year” nos Estados Unidos em 2003 pela Malt Advocate Magazine
  • Prêmio de “Best of New Beer” nos Estados Unidos em 2003 pela Celebrator Magazine
  • Prêmio de “Biere d innovation de l annee “ na França em 2003 pela Bière Magasine
  • Medalha de Prata na Brewing Industry International Awards em Londres em 2004

Essa Belgian Strong Ale passa pelo método champenoise, ganhando uma similaridade com o champagne. A cerveja Deus tem um gosto leve, mas que esconde seu nível elevado de graduação alcoólica: 11,5%. Aroma complexo, com maçã, hortelã, gengibre, malte, lúpulo e cravo-da-índia. Sabor refrescante com final seco e adstringente. E hoje nós estamos tendo a oportunidade de degustá-la aqui no nosso blog graças à minha esposa Aline que me deu uma de presente de aniversário. Infelizmente essa é uma bebida que não é possível tomarmos com frequência devido ao seu alto preço (custa o mesmo que uma garrafa de champagne no Brasil R$250-300).

IMG_20170429_162303497

IMG_20170429_162311476

IMG_20170429_162333296.jpg

IMG_20170429_162348873.jpg

IMG_20170429_183203319.jpg

Também iremos degustar aqui uma champenoise brasileira que eu pude comprar na minha última viagem à Belo Horizonte quando visitei a melhor cervejaria do país: a Wäls.

IMG_20170429_162448454.jpg

IMG_20170429_162454926.jpg

IMG_20170429_162519893.jpg

Harmonização

Não podemos degustar bebidas de peso sem um prato à altura, logo nossa escolha será pelo famoso camarão à Húngara. Para começar a fazê-lo, tomemos cerca de 1kg de camarão:

IMG_20170429_164149222.jpg

E vamos temperá-los com o sumo de 2 limões:

IMG_20170429_164233892.jpg

2 colheres de sopa de páprica doce e 1 de páprica picante (cuidado pois ela é muito apimentada)

IMG_20170429_164650318.jpg

IMG_20170429_164656834.jpg

IMG_20170429_164854842.jpg

Azeite, pimenta do reino branca e sal a gosto:

IMG_20170429_164937340.jpg

IMG_20170429_165027029.jpg

IMG_20170429_165429362.jpg

Depois deixamos o camarão descansar por cerca de meia hora:

IMG_20170429_165744513.jpg

Enquanto isso vamos cozinhar as batatas. Tomemos 1kg de batata Asterix:

IMG_20170429_170545922.jpg

Vamos descascá-las e cortá-las em rodelas:

IMG_20170429_171650233.jpg

Vamos colocar água e sal em uma panela e aguardar o momento de fervura. Após ele começar a acontecer vamos colocar as batatas e cozê-las de forma que elas apenas fiquem levemente cozidas (10 minutos) para que elas não se desfaçam.

IMG_20170429_170221862.jpg

IMG_20170429_171758984.jpg

Depois iremos secá-las e separá-las:

IMG_20170429_172841863.jpg

Passemos então os camarões para a frigideira com manteiga, azeite e alho:

IMG_20170429_173237071.jpg

IMG_20170429_173606329.jpg

IMG_20170429_173730032.jpg

É interessante não cozinhá-los por muito tempo, a idéia é só selá-los já que depois irão ao forno.

IMG_20170429_173854660.jpg

Depois da selagem, vamos acrescentar cerca de 2 colheres de farinha de trigo:

IMG_20170429_174138077.jpg

IMG_20170429_174249792.jpg

IMG_20170429_174546329.jpg

Adicionamos 800g de creme de leite:

IMG_20170429_174627122.jpg

IMG_20170429_174923702.jpg

IMG_20170429_175252010.jpg

Por fim vamos acrescentar o açafrão:

IMG_20170429_175356181.jpg

IMG_20170429_175611612.jpg

E as batatas:

IMG_20170429_175715402.jpg

IMG_20170429_175805366.jpg

Depois colocaremos numa tigela refratária para levarmos ao forno a 200 graus Celsius:

IMG_20170429_180314999.jpg

Um pouco mais de páprica antes:

IMG_20170429_180509241.jpg

O tempo de cozimento leva cerca de 30 minutos. Enquanto isso faremos o arroz na panela de pressão elétrica:

IMG_20170429_181638939.jpg

Usaremos dois copinhos cheios de arroz:

IMG_20170429_181748012.jpg

Vamos refogar azeite, alho e cebola picada junto com o arroz:

IMG_20170429_181542378.jpg

Após vamos acrescentar cerca de 3 copinhos de água, um sachê de sazon e cozinharemos na pressão por cerca de 12 minutos.

IMG_20170429_181910215.jpg

IMG_20170429_181922276.jpg

IMG_20170429_182044379.jpg

IMG_20170429_182058003.jpg

IMG_20170429_184157008.jpg

Logo após a comida estará pronta para a degustação:

IMG_20170429_183007362

IMG_20170429_183455843.jpg

IMG_20170429_185249590.jpg

IMG_20170429_185445892.jpg

IMG_20170429_191638370.jpg

IMG_20170429_202926369.jpg

IMG_20170429_203341156.jpg

Degustamos também uma cerveja dinamarquesa espetacular: Hertog Jan Tripel. Ela possui uma das garrafas mais bonitas que eu já vi numa cerveja: ela é feita toda de cerâmica.

IMG_20170429_194838294.jpg

IMG_20170429_195226789.jpg

IMG_20170429_195230232.jpg

IMG_20170429_195409134.jpg

IMG_20170429_221458844.jpg

Conclusão

A noite foi maravilhosa com uma excelente companhia: Aline. Sobre as cervejas a nota é 10. Sei que é muito caro comprar uma DeuS aqui no Brasil, mas ela é do tipo que necessita ser degustada ao menos uma vez na vida. Obrigado pelo presente de aniversário querida.

Conheça todos os posts do blog através desse link

Spritzer, Peru, Pernil e Salmão com Espumantes Nacionais e a lendária cachaça: Anísio Santiago

“Amar é como tomar vinho: delicioso, mas em exagero torna-se um veneno que nos mata aos poucos.” Renan Mendonça

IMG_20170101_034914607.jpg

Introdução

Olá amigos, conforme prometi no último post, esse será um post sobre o meu réveillon. Nele darei dicas fantásticas de boas comidas combinadas com espumantes nacionais de altíssima qualidade, bons vinhos, um drink altamente recomendado para o verão, uma boa opção de Brandy português e, para finalizar, teremos a lendária Anísio Santiago.

Apéritif

Começaremos nossa noite com duas cervejas espetaculares: La trappe Golden ale e a Goose Island Ipa.

IMG_20161230_183449707.jpg

IMG_20161230_191958886.jpg

IMG_20161231_174839903.jpg

Muita gente normalmente não gosta da Ipa devido ao fato dela utilizar muito mais lúpulo na sua receita do que os outros tipos de receita. Mas aprendi com um amigo da marinha que ela é uma cerveja que deve ser utilizada apenas como degustação. Ela deve ser consumida em pequena quantidade e com um doritos de acompanhamento.

Spritzer

Essa bebida é altamente deliciosa e se assemelha à famosa sangria, porém ela é feita com Sprite zero. Na internet existem variações de receitas quanto à porcentagem a ser utilizada de vinho tinto ou branco e o Sprite zero. Sem perda de generalidade iremos utilizar 50% de vinho e 50% de Sprite zero. Iremos utilizar um vinho tinto de boa qualidade porém barato:

IMG_20161231_222217693.jpg

Uma belíssima poncheira:

IMG_20161231_222112451.jpg

E frutas. A receita pode ser feita com as frutas variadas ou até mesmo sem elas.

IMG_20161231_222204555.jpg

IMG_20161231_222202200.jpg

IMG_20161231_222135836.jpg

IMG_20161231_222143547.jpg

IMG_20161231_222159235.jpg

IMG_20161231_222231747.jpg

IMG_20161231_222236855.jpg

IMG_20161231_222459474.jpg

IMG_20161231_222750072.jpg

Harmonização

Hoje teremos uma mesa muito farta para harmonização: Peru, Pernil, Farofa de bacon, Salmão ao molho de maracujá, salada de kani com manga e molho teriyaki.

IMG_20161231_222322569.jpg

IMG_20161231_223517740.jpg

IMG_20161231_224159454.jpg

IMG_20161231_224433154.jpg

Como acompanhamento, temos vinhos chilenos do tipo Merlot e Carmenère:

IMG_20161231_223303503.jpg

Para acompanhar o peru e o pernil vamos de Carmenère:

IMG_20161231_224613588.jpg

IMG_20161231_225042635.jpg

IMG_20161231_225130854.jpg

IMG_20161231_225403580.jpg

O salmão é um peixe com bom percentual de gordura, logo a compinação com o spritzer fica refrescante e gostosa:

IMG_20161231_231021161.jpg

Abaixo temos exemplos de vários bons espumantes nacionais da região de Bento Gonçalves:

IMG_20161231_235046838.jpg

IMG_20161231_235109607.jpg

IMG_20170101_014201064.jpg

IMG_20170101_014230092.jpg

IMG_20170101_014628373.jpg

IMG_20170101_241124877.jpg

Digestif

Começaremos 2017 com duas grandes bebidas. A primeira delas é um Brandy Português Espetacular: Aguardente Velha Reserva Carvalho, Ribeiro e Ferreira.

12670204_1111480535537118_5262075189701220511_n.jpg

IMG_20170101_034914607.jpg

IMG_20170101_034919284.jpg

E a segunda é uma verdadeira lenda Brasileira: a cachaça Anísio Santiago-Havana. Essa é a bebida que imortalizou o Brasil no mundo como sinônimo de boa bebida. Eleita durante vários anos seguidos como a melhor cachaça do mundo, a Anísio Santiago foi declarada como patrimônio cultural imaterial de Salinas por meio de Decreto Municipal número 3728/2006. É dito que grandes líderes do mundo como Fidel Castro possuem garrafas em sua coleção particular. Dizem que a fama dessa bebida deu-se com a lenda que diz que o senhor Anísio pagava seus funcionários com a cachaça e eles a vendiam caro, chegando ao valor de um salário mínimo cada (R$ 450). Mas seus dez anos de envelhecimento no barril de bálsamo também conferem a ela estimado valor. Só quem prova essa lenda é que sabe o que significa beber uma boa cachaça! Versões mais velhas dessa cachaça podem ser encontradas na internet ao preço de R$ 10000.

IMG_20170101_112802730.jpg

IMG_20170101_112845851.jpg

Conclusão

Gostaria de deixar registrado aqui um imenso agradecimento à minha família e amigos por terem me proporcionado um réveillon tão maravilhoso. Feliz 2017 e um Ano Novo  com a Graça do nosso bom Deus e com muitas realizações pessoais, espirituais, materiais, etc!!

Conheça todos os posts do blog através desse link

Peru de Natal, Ceia com Pinot Noir e Espumantes Nacionais

“O bom vinho alegra o coração dos Homens” Sagradas Escrituras

IMG_20161224_215601397.jpg

Introdução

Olá amigos, hoje farei um breve post apenas com dicas sobre espumantes nacionais e um bom vinho relativamente barato para combinar com a ceia de Natal. Em breve farei um post sobre a festa do Réveillon.

Vinho de escolha: Pinot Noir Ventisquero Reserva 2015

IMG_20161224_213557735.jpg

Já falamos aqui no nosso blog sobre a alta qualidade e o bom custo benefício da bodega Chilena Ventisquero. Logo, nossa opção será por ela: aproximadamente R$50.

Harmonização

Hoje teremos 3 pratos para nossa harmonização: Peru, Lombo com farofa de Bacon e molho de laranja e maionese com batata e galinha defumada.

IMG_20161224_203721991.jpg

IMG_20161224_214238313.jpg

IMG_20161224_214909251.jpg

IMG_20161224_215601397.jpg

IMG_20161224_212944455.jpg

Para petiscar temos um queijo delicioso muito vendido nessa época natalina no nordeste: Queijo do Reino.

IMG_20161224_204814306.jpg

Abaixo temos exemplos de vários bons espumantes nacionais do vale do São Francisco:

IMG_20161224_204154040.jpg

IMG_20161224_210846869.jpg

E para quem gosta de uma versão um pouco mais adocicada temos um do tipo moscatel. Uva que se adaptou perfeitamente no clima semi-árido nordestino.

IMG_20161224_212523903.jpg

IMG_20161224_212831645.jpg

Conclusão

A moral da história é que o Brasil possui excelentes opções de espumantes tanto na região de Bento Gonçalves quanto no Vale do São Francisco. Não precisa gastar uma fortuna para aproveitar um bom Natal. Feliz Natal e um Maravilhoso Ano Novo Para todos com a Graça do nosso bom Deus!!

Conheça todos os posts do blog através desse link

Champagne, Lagostim, Agulhinha Frita com Prosecco e Espumantes Nacionais

“O vinho é o mais notável de todos os remédios; onde falta o vinho, os remédios se fazem necessários”(Livros do Talmud (500-400 a.C.))

 

praca-do-marco-zero-recife-pernambuco.jpg
Fonte: http://www.estadosecapitaisdobrasil.com/

Introdução

Amigos, hoje estamos no nordeste do Brasil (especificamente na bela cidade histórica de Recife) e vamos aproveitar para provarmos o que a região tem de melhor: frutos do mar. Também, como estamos nos aproximando das festas de fim de ano, senti a necessidade de falar sobre o que o Brasil possui de melhor no contexto dos vinhos: os espumantes.

Champagne, Espumante ou Prosecco?

Antes de falarmos qualquer coisa, é necessário entendermos que existe uma diferença entre champanhes e espumantes. O nome Champagne é uma AOC (appellation d’origine contrôlée ou denominação de origem controlada), o que significa dizer que todos os vinhos com esse nome são obrigatoriamente produzidos na região epônima (Na França não existem estados como o Brasil, mas ela está dividida em regiões conhecidas como departamentos. Logo, Champagne seria mais ou menos um estado da França cuja capital é Épernay). Nenhum outro espumante feito fora da região de champanhe pode receber esse título.

Champagne-Production-Area-Map.jpg

Outra coisa muito importante é que só pode ser considerado Champagne aquele que é feito com as uvas Pinot Noir, Pinot Meunier e Chardonnay.

O Prosecco é aquele que é feito exclusivamente com as uvas Prosecco Italianas.

8cc6c7d92ab12220b08d6994a59234c9.png

Uvas Prosecco

uva34.jpg
Fonte: http://domgio.com/

O champagne é um vinho?

Sim. Já temos no blog um post sobre como um vinho é feito e vou apenas acrescentar alguns passos diferentes na produção do champanhe. Segue-se o fluxograma ilustrativo:

Champagne-Infographic-Poster.jpg
Fonte:http://fatcork.com/

De forma bem simplificada, o processo de fabricação é o que se segue:

  • Após as uvas (pinot noir, pinot meunier e chardonnay) serem colhidas e separadas elas são prensadas e só o suco delas é posto para fermentar individualmente.
  • Após a primeira fermentação, o vinho é engarrafado com o blend das três uvas mais a adição de açúcar, fermento e vinhos de safras mais antigas e posto para fermentar uma segunda vez dentro da garrafa.
  • Durante essa segunda fermentação (algo que pode durar entre 15 meses a mais de 15 anos), o champagne sofre um processo conhecido como Remuage, em que todos os dias ele é “girado” de forma aos detritos se acumularem no fundo da garrafa.
  • Após a etapa de envelhecimento, o sedimento que se acumulou é removido, é acrescentado uma pequena dose de liqueur d’expedition (vinho açucarado) para contrabalancear a acidez e o vinho é arrolhado.

Porque o champagne é sinônimo de comemoração e alegria?

O hábito do champagne ser tido como sinônimo de comemoração por grandes conquistas é devido, primeiramente, ao fato de que em Reims, cidade mais importante de Champagne, foram coroados quase todos os grandes reis da França. A coroação acontecia na catedral de Notre-Dame de Reims, construída em 1225, e nas comemorações era servido champanhe. Por este motivo, ficou conhecido como o vinho dos reis e rainhas.

facade_de_la_cathedrale_de_reims_-_parvis

Breve história do Champagne

O grande pai dessa “bebida da alegria e do sucesso” foi  Pierre Perignón, mais conhecido pelo seu epíteto de Dom Pérignon. Ele foi um monge beneditino da Abadia de Hautvillers que, em 1670, foi o responsável pela “revolução” na produção do champanhe.

dom-perignon

A Dom Pérignon deve-se a descoberta dos cinco principais elementos que em muito contribuíram para o champanhe tal como ele é hoje:

1-A mistura de diferentes vinhos da região (o blend), conseguindo que o produto fique mais harmonioso.

2-A separação e prensagem em separado das uvas que predominam em Champagne, obtendo assim um cristalino sumo de uva.

3-O uso de garrafas de vidro mais espessas para melhor permitirem a pressão da segunda fermentação em garrafa.

4-O uso da rolha de cortiça, vinda de Espanha.

5-A escavação de profundas adegas, hoje galerias com vários quilômetros de extensão e usadas por todos os produtores, para permitir o repouso e envelhecimento do champanhe a uma temperatura constante.

Até hoje o champagne Dom Perignón encontra-se como exemplo de riqueza e finesse. Aqui no Brasil a garrafa mais barata de um Dom Perignón custa em Média R$1000. Há exemplares que chegam a custar R$20000.

domperignon-vintage2006-0-75l-gb-p-ec-1

Harmonização

O champagne é um vinho clássico conhecido por harmonizar muito bem com frutos do mar. É um vinho que combina muito bem com regiões quentes como o Brasil. Como estamos no nordeste hoje iremos escolher como harmonização um filé de agulhinha frita (verdadeiro requinte da culinária nordestina) e lagostim.

img_20161214_195115039

img_20161214_200942373

Vinhos de escolha

Nós já desmistificamos aqui a idéia de que o Brasil não produz vinhos de boa qualidade, porém não falamos sobre o que ele possui de melhor: seus espumantes. Estudiosos falam que, em no máximo 20 anos, os espumantes brasileiros só não serão melhores em qualidades do que os franceses. Hoje na França é possível comprar espumantes brasileiros em qualquer grande casa de vinhos. Então, nas festas de fim de ano, se você não tem dinheiro para comprar um champagne (custa em média R$300 a R$400 reais no Brasil), escolha um Brasileiro que não fará feio de modo algum. Hoje escolheremos um exemplo de grande espumante gaúcho (de Bento Gonçalves) e um grande espumante nordestino (do vale do São Francisco). Mas o Brasil possui dezenas de outros com altíssima qualidade: Salton, Casa Valduga, Peterlongo, etc.

img_20161214_174337983

img_20161214_173555729

img_20161214_173507970

img_20161214_205309335

img_20161214_212659055

img_20161214_212723954

Conclusão

Maravilha essa combinação. Ficou muito bom essas comidas feitas pelo meu pai. Nessas festas de fim de ano escolha Espumantes Nacionais e não irá se arrepender.

Conheça todos os posts do blog através desse link