Degustando vinhos em Buenos Aires e em Montevideo junto com o lendário bife de chorizo angus

 “O vinho conforta ao triste, e revive aos velhos, inspira os jovens, permite que o cansado esqueça o seu cansaço.” Lord Byron

IMG-20181123-WA0089.jpg

Introdução

Olá Amigos, hoje o nosso blog está especial porque estamos em dois países diferentes degustando o que eles possuem de melhor: carne. É praticamente impossível irmos à Argentina e ao Uruguai sem nos deliciarmos com suas carnes maravilhosas. Falaremos também nesse post sobre o porquê desses países possuírem uma altíssima qualidade de carnes e sobre como harmonizá-las com os melhores vinhos disponíveis nesses países.

Raças de bovinos

É certo que existem centenas de raças diferentes de bois, porém quando pensamos em bovinos produtores de carne, são três as mais famosas: Nelore, Angus e Wagyu. A diferença principal entre elas é o nível de marmoreio que a gordura cria entre suas fibras.

Nelore

hqdefault.jpg

Boi predominante no Brasil sendo originado da Índia e raça reconhecida por sua alta resistência a condições adversas e pelo seu alto rendimento de produção de carne. Baixo nível de marmoreio da gordura. Corresponde a 80% do gado de corte brasileiro.

Angus

Original.jpg

Boi de origem escocesa e representa de forma massiva a raça de corte da Argentina e do Uruguai. No Brasil é a segunda raça mais cultivada e segue-se atrás do Nelore. Possui nível de marmoreio médio e sua carne no Brasil custa algo em torno de 30% a mais do que o Nelore.

Wagyu

Wagyu.jpg

Boi de origem japonesa que chegou no Brasil há pouco mais de 20 anos e ainda possui poucas cabeças dele no país. Ele representa o que chamamos de Rolls-Royce do mundo das carnes. Seu altíssimo nível de marmoreio da gordura entre as fibras o torna uma iguaria tão rica quanto o caviar beluga ou o foie gras. Sua carne também é tão cara quanto, chegando a custar duas ou três vezes mais do que o Angus. Falaremos mais sobre ele num futuro post.

Comparação entre as três raças

Abaixo podemos ver a diferença no marmoreio da gordura entre elas:

carnes.png

cortes-especiais-de-wagyu.jpg

Cortes do contra-filet: ojo de bife, bife de ancho, bife de chorizo e o l’entrecôte

Quando pensamos em churrasco no Brasil a primeira coisa que nos lembramos é da famosa picanha. Infelizmente esse corte é pouco conhecido no mundo, sendo muito mais valorizado os cortes advindos do contra-filet. Abaixo temos um mapa mostrando onde fica localizado cada corte do boi:

mapa-do-boi_thumb.png
Fonte: http://www.beefpoint.com.br

Vou também deixar aqui o link para um vídeo fantástico do lendário e saudoso Marcos Bassi ensinando como obter cada um dos cortes do contra-filet partindo de uma peça inteira:

https://www.youtube.com/watch?v=dFtpFtrZ1DM

maxresdefault.jpg

Argentina

1280px-Flag_of_Argentina.svg.png

Tendo introduzido todas essas informações, é possível entendermos o porquê do sabor inigualável das carnes encontradas nesse país: a raça angus. Esse é o país do alfajor, das empanadas, do tango, do doce de leite, mas principalmente do vinho malbec e do bife de chorizo angus. Sabendo disso iremos visitar uma das casas mais badaladas da cidade que é, em si própria, um ponto turístico da cidade de Buenos Aires: A Cabaña Las Lilas.

Cabaña Las Lilas

Buenos Aires 544.jpg

Localizada no famoso bairro de Puerto Madeiro é, talvez, a melhor casa de carnes da cidade localizada de frente para o rio da prata. A idéia original foi provar um bife de Wagyu mas seu preço proibitivo nos tolheu a vontade: ~R$ 350.

IMG_20181115_212747038.jpg

IMG_20181115_212751449.jpg

Já falamos várias vezes aqui sobre a superioridade dos malbec argentinos (link) e sobre a lendária bodega do Catena Zapata, então nada melhor do que iniciarmos nossa noite com ela: DV Catena Malbec 2015.

IMG_20181115_215016687.jpg

IMG_20181115_215430668.jpg

Vinho muito agradável e frutado detentor de uma cor roxa belíssima ao passo que podemos sentir bem a potência dos seus taninos. Decidimos iniciar nossa noite com ele e com um dos símbolos da Argentina: as empanadas.

IMG_20181115_215805403.jpg

IMG_20181115_223404294.jpg

Na hora de escolhermos qual seria a carne, decidimos optar pela escolha dos dois cortes carros-chefes da casa: o ojo de bife e o bife de chorizo.

Buenos Aires 540.jpg

las-lilas-buenos-aires-porto-madero-1024x832.jpg

Pedimos ao ponto para menos:

IMG_20181115_232636720.jpg

IMG-20181123-WA0089

IMG-20181123-WA0083.jpg

De tão macio que estava ele desmanchava na boca e harmonizou perfeitamente com o vinho de escolha!

IMG_20181115_232917148.jpg

Como segundo vinho, decidimos pedir sugestão do sommelier da casa. Ele nos sugeriu um que o consideramos ainda superior ao primeiro: Luigi Bosca 2016 Malbec, Petit Verdot e Tannat.

IMG_20181202_160255025.jpg

IMG-20181122-WA0003.jpg

Acredito que essa “melhoria” em relação ao vinho anterior seja devida ao corte com a petit verdot. Esse corte trás a fruta presente tanto na Malbec quanto na Tannat e também a suavização dos taninos produzidas pela petit verdot. Um grande vinho!

IMG-20181123-WA0085

IMG-20181123-WA0087.jpg

IMG-20181123-WA0088.jpg

Para terminarmos a noite decidimos por mais um malbec um pouco mais simples do que os anteriores: Viña Alicia Paso de Piedra 2014. Como sempre falamos anteriormente, escolher um malbec argentino é certeza do sucesso e esse não foi diferente. Esse apresentou aromas menos complexos do que os outros apenas com a pimenta do reino se destacando e taninos um pouco mais agressivos!

Señor Tango

IMG-20181123-WA0103.jpg

Outro lugar imperdível que deve ser visitado em Buenos Aires é o show de tango mais clássico da cidade: o Señor Tango. Ele possui não apenas um show espetacular como também um jantar maravilhoso!

IMG-20181123-WA0022

IMG_20181116_200346158.jpg

Antes do início do show, pudemos aproveitar um belo jantar acompanhado de um vinho da casa: Finca Las Moras Malbec 2016.

IMG_20181116_200856955.jpg

IMG-20181123-WA0009.jpg

Um vinho agradável porém muito mais simples do que todos os anteriormente citados: bastante jovem com taninos pouco trabalhados e aparenta não passar por estágio na barrica de carvalho. O primeiro prato é uma panqueca de espinafre:

IMG-20181123-WA0010.jpg

Junto com o prato principal eu decidi pedir uma das jóias argentinas, um vinho o qual já pairava pelos meus pensamentos há um bom tempo: Angélica Zapata 2014 Malbec.

IMG_20181116_213729676.jpg

IMG-20181123-WA0019

IMG-20181123-WA0056

Esse vinho lendário foi uma homenagem do próprio Nicolas Zapata à sua filha Angélica. Possui um preço proibitivo no Brasil (cerca de R$300) mas estava sendo vendido na casa por incríveis R$120.

IMG_20181116_213719377.jpg

Vinho bastante frutado e diferentemente dos outros malbec, possui taninos burilados e se apresenta bastante redondo na boca. Um espetáculo de vinho que acompanhou perfeitamente o bife de chorizo.

IMG_20181116_212110776.jpg

IMG_20181116_212118930.jpg

IMG-20181123-WA0013.jpg

Como sobremesa tivemos um doce muito parecido com um tiramisù porém sem a camada de café. Para acompanhar com ele pedimos uma dose de Jerez. Depois farei no blog um post exclusivo sobre essa bebida pois ela em si apresenta variados estilos, porém, em suma, posso dizer que ela é o equivalente do vinho do porto espanhol com outras uvas como a Palomino e a Pedro Ximenes por exemplo.

IMG_20181116_222415566.jpg

Visita à Montevideo

bandeira-do-uruguai-2000px.png

Amigos, como já falei anteriormente no nosso blog (link), a uva tannat no Uruguay é uma referência de simplesmente melhor do mundo e, assim como na Argentina, boa parte do gado uruguaio consiste em bovinos da raça Angus. Então iremos degustar aqui um bom bife de chorizo junto com um bom vinho uruguaio. Conversando com especialistas da região, consegui descobrir que a bodega de destaque no país é a Bouza.

destinoAlgum-bodega-boauza-uruguay-4

bouxa

Por isso que iremos escolher um vinho dessa vinícola para degustarmos num restaurante famoso da cidade: El Fogón.

IMG_20181118_131511815.jpg

Bouza tannat 2017

IMG_20181118_133023339.jpg

IMG_20181118_133149864_HDR.jpg

IMG_20181118_133157300_HDR.jpg

IMG_20181118_133213638_HDR.jpg

Vinho muitíssimo gostoso e agradável apesar de tânico. O seu roxo intenso só não é ofuscado pela suas lágrimas intensas. Uma grande experiência gastronômica!

IMG_20181118_133728863.jpg

Como entrada foi servida uma salada caprese e como prato principal temos o lendário bife de chorizo uruguaio:

IMG_20181118_140326468.jpg

IMG-20181123-WA0130

IMG-20181123-WA0131.jpg

E como sobremesa foi nos servido o típico pudim uruguaio:

IMG_20181118_142928458.jpg

IMG-20181123-WA0133.jpg

Conclusão

Amigos, se forem visitar a Argentina, imploro que degustem seus maravilhosos Malbec assim como se forem ao Uruguai provem seus Tannats lendários. Que experiência única!

Conheça todos os posts do blog através desse link