Teste cego de Bordeaux Chileno Versus Grand Vin de Bordeaux

“Onde o bom vinho falta, encurta o espaço para o amor” (João Alberto Catalão)

IMG_20170527_201241667.jpg

Introdução

Olá amigos, hoje teremos um post bem diferente do que estamos habituados aqui no blog pois ele será o cumprimento de uma promessa feita desde o nosso primeiro post (link). Desde o começo temos falado que vinhos chilenos e argentinos possuem a mesma qualidade que os europeus mas ainda não fizemos nenhuma comprovação prática no blog salvo no último post (link). Hoje iremos comparar na prática um vinho premiado do chile com outro premiado de Bordeaux (região produtora de vinhos mais famosa do mundo).

Teste Cego

Aqui no blog já tivemos a oportunidade de falarmos sobre teste cego inclusive daquele que foi o mais famoso já feito: O Julgamento de Paris de 1976 (link). Nesse ano pela primeira vez vinhos americanos desbancaram vinhos franceses que até então eram cridos serem imbatíveis.

Paris_tasting_judges.jpg
Julgamento de Paris de 1976

o-julgamento-de-paris.jpg

Recentemente, Eduardo Chadwick decidiu provar que seus vinhos de aproximadamente R$500 eram melhores do que renomados franceses de até mesmo R$17.400 como o Château Lafite-Rothschild 2000 e promoveu vários testes cegos com diversos especialistas.

1003931x.jpg

E o resultado foi como ele esperava: seus vinhos eram melhores do que os franceses e os italianos. Se alguém quiser saber mais detalhadamente sobre esse evento basta clicar no link abaixo:

http://vinho.ig.com.br/index.php/2013/07/05/chadwick-o-chileno-que-desafia-e-ganha-dos-franceses/

O canal Vox do youtube também fez um vídeo mostrando que é idiotice pensar que um vinho muito caro é necessariamente melhor do que um mais barato. É lógico que um vinho de qualidade não é tão barato, mas é uma ilusão achar que porque ele é muito caro ele é muito melhor. Confiram o link:

https://www.youtube.com/watch?v=mVKuCbjFfIY&feature=share

Vinhos de escolha

Mas para se realizar um teste adequado é necessário comparar semelhantes. Não se compara banana com abacaxi. Devido à diferença de moeda é possível comprar um vinho muito top chileno por cerca de R$100-150, mas um da mesma qualidade europeu (Francês ou Italiano) não sai por menos de R$200. Outro ponto importante é compararmos vinhos de uvas e/ou blends semelhantes. Bordeaux praticamente só produz assemblages (vinhos com mais de uma uva diferentes, normalmente Cabernet-Sauvignon, Merlot e Cabernet-Franc) enquanto que vinhos do Chile e os do Novo Mundo em geral são feitos quase sempre com uma única uva.

Montes Alpha Cabernet-Sauvignon 2011

IMG_20170527_195732103.jpg

IMG_20170527_195742951.jpg

Do lado chileno temos uma lenda que é um verdadeiro clássico da América do Sul. O Montes Alpha foi o primeiro grande tinto chileno, inspirado nos melhores vinhos de Bordeaux. Foi eleito o “melhor Bordeaux chileno” pela revista Decanter, e equivale em qualidade a um “cru bourgeois” de preço três ou quatro vezes maior! Concentrado e refinado, com muita estrutura, camadas e mais camadas de fruta madura e um elegante final de boca. Um vinho excelente, de imbatível relação qualidade/preço. Esse foi o vinho recomendado pelo sommelier Gérson num post anterior do Blog (link). Apesar de possuir o nome Cabernet-Sauvignon ele é um blend com outras uvas como a Merlot. Custa em média R$120-150.

Château Villa Bel Air 2010

IMG_20170527_195639537.jpg

IMG_20170527_195655334.jpg

Do lado Francês temos outra lenda que é considerado como um dos maiores representantes dos vinhos de Bordeaux. Um vinho realmente apetitoso na opinião de Jancis Robinson e um livro texto da região de Graves nas palavras de Robert Parker, o Château Villa Bel-Air é um Bordeaux cheio de personalidade, combinando as castas Cabernet Sauvignon (40%), Merlot (50%) e Cabernet Franc (10%) de vinhedos plantados nos famosos solos da região, repletos de pedregulhos. Elaborado com maestria pela família Cazes, do famoso Château Lynch Bages, é um grande achado de Bordeaux. Uma garrafa padrão de 750ml dele corresponde a aproximadamente R$230-260. Por sorte consegui comprar uma meia garrafa numa promoção.

O embate

IMG_20170527_201241667

Durante o teste cego os participantes tiveram opiniões bem semelhantes. Os dois vinhos possuem boa estrutura e apresentam alto grau de qualidade, mas o da esquerda (taça maior e mais alongada) se mostrou bem superior no quesito aromas e retrogosto. Esse é realmente um vinho muito aromático e agradável ao nariz; na boca eles são bem semelhantes mas o retrogosto do da esquerda é também muito superior e agradável. O fim dele é longo, muito persistente e saboroso. Enquanto que o da direita possui um final seco, levemente amargo e desagradável. Devido a essas características, o da esquerda foi escolhido por unanimidade como o melhor vinho. O resultado é o que se segue:

IMG_20170527_203037226.jpg

Ou seja, o Chileno se saiu como vitorioso para minha surpresa, pois eu pensei que o melhor era o Francês!! Isso apenas confirma o que foi dito no post anterior (link): é no Chile que a Cabernet-Sauvignon encontra sua expressão máxima!!

Harmonização

Os vinhos do tipo Bordeaux harmonizam muito bem com um bom pernil de cordeiro (gigot d’agneau) mas, infelizmente dessa vez eu não acertei a mão da receita e prometo que eu refá-la-ei em breve aqui no blog. Por enquanto deixo as fotos da tentativa:

IMG_20170527_185232014.jpg

IMG_20170527_204541344.jpg

Conclusão

Conseguimos comprovar o que venho dizendo desde o começo do blog: um vinho não é melhor do que outro necessariamente por ser mais caro ou por ser de um lugar muito consagrado como Bordeaux ou Bourgogne. Mas ao mesmo tempo quero frisar aqui que não é meu objetivo afirmar que os vinhos franceses são inferiores aos chilenos ou a qualquer outro, mas encorajar a todos que provem e aproveitem todos os tipos de vinhos, franceses ou não. Em breve espero estar trazendo mais vinhos franceses aqui no blog. Abraços e fiquem com Deus.

Conheça todos os posts do blog através desse link

Spritzer, Peru, Pernil e Salmão com Espumantes Nacionais e a lendária cachaça: Anísio Santiago

“Amar é como tomar vinho: delicioso, mas em exagero torna-se um veneno que nos mata aos poucos.” Renan Mendonça

IMG_20170101_034914607.jpg

Introdução

Olá amigos, conforme prometi no último post, esse será um post sobre o meu réveillon. Nele darei dicas fantásticas de boas comidas combinadas com espumantes nacionais de altíssima qualidade, bons vinhos, um drink altamente recomendado para o verão, uma boa opção de Brandy português e, para finalizar, teremos a lendária Anísio Santiago.

Apéritif

Começaremos nossa noite com duas cervejas espetaculares: La trappe Golden ale e a Goose Island Ipa.

IMG_20161230_183449707.jpg

IMG_20161230_191958886.jpg

IMG_20161231_174839903.jpg

Muita gente normalmente não gosta da Ipa devido ao fato dela utilizar muito mais lúpulo na sua receita do que os outros tipos de receita. Mas aprendi com um amigo da marinha que ela é uma cerveja que deve ser utilizada apenas como degustação. Ela deve ser consumida em pequena quantidade e com um doritos de acompanhamento.

Spritzer

Essa bebida é altamente deliciosa e se assemelha à famosa sangria, porém ela é feita com Sprite zero. Na internet existem variações de receitas quanto à porcentagem a ser utilizada de vinho tinto ou branco e o Sprite zero. Sem perda de generalidade iremos utilizar 50% de vinho e 50% de Sprite zero. Iremos utilizar um vinho tinto de boa qualidade porém barato:

IMG_20161231_222217693.jpg

Uma belíssima poncheira:

IMG_20161231_222112451.jpg

E frutas. A receita pode ser feita com as frutas variadas ou até mesmo sem elas.

IMG_20161231_222204555.jpg

IMG_20161231_222202200.jpg

IMG_20161231_222135836.jpg

IMG_20161231_222143547.jpg

IMG_20161231_222159235.jpg

IMG_20161231_222231747.jpg

IMG_20161231_222236855.jpg

IMG_20161231_222459474.jpg

IMG_20161231_222750072.jpg

Harmonização

Hoje teremos uma mesa muito farta para harmonização: Peru, Pernil, Farofa de bacon, Salmão ao molho de maracujá, salada de kani com manga e molho teriyaki.

IMG_20161231_222322569.jpg

IMG_20161231_223517740.jpg

IMG_20161231_224159454.jpg

IMG_20161231_224433154.jpg

Como acompanhamento, temos vinhos chilenos do tipo Merlot e Carmenère:

IMG_20161231_223303503.jpg

Para acompanhar o peru e o pernil vamos de Carmenère:

IMG_20161231_224613588.jpg

IMG_20161231_225042635.jpg

IMG_20161231_225130854.jpg

IMG_20161231_225403580.jpg

O salmão é um peixe com bom percentual de gordura, logo a compinação com o spritzer fica refrescante e gostosa:

IMG_20161231_231021161.jpg

Abaixo temos exemplos de vários bons espumantes nacionais da região de Bento Gonçalves:

IMG_20161231_235046838.jpg

IMG_20161231_235109607.jpg

IMG_20170101_014201064.jpg

IMG_20170101_014230092.jpg

IMG_20170101_014628373.jpg

IMG_20170101_241124877.jpg

Digestif

Começaremos 2017 com duas grandes bebidas. A primeira delas é um Brandy Português Espetacular: Aguardente Velha Reserva Carvalho, Ribeiro e Ferreira.

12670204_1111480535537118_5262075189701220511_n.jpg

IMG_20170101_034914607.jpg

IMG_20170101_034919284.jpg

E a segunda é uma verdadeira lenda Brasileira: a cachaça Anísio Santiago-Havana. Essa é a bebida que imortalizou o Brasil no mundo como sinônimo de boa bebida. Eleita durante vários anos seguidos como a melhor cachaça do mundo, a Anísio Santiago foi declarada como patrimônio cultural imaterial de Salinas por meio de Decreto Municipal número 3728/2006. É dito que grandes líderes do mundo como Fidel Castro possuem garrafas em sua coleção particular. Dizem que a fama dessa bebida deu-se com a lenda que diz que o senhor Anísio pagava seus funcionários com a cachaça e eles a vendiam caro, chegando ao valor de um salário mínimo cada (R$ 450). Mas seus dez anos de envelhecimento no barril de bálsamo também conferem a ela estimado valor. Só quem prova essa lenda é que sabe o que significa beber uma boa cachaça! Versões mais velhas dessa cachaça podem ser encontradas na internet ao preço de R$ 10000.

IMG_20170101_112802730.jpg

IMG_20170101_112845851.jpg

Conclusão

Gostaria de deixar registrado aqui um imenso agradecimento à minha família e amigos por terem me proporcionado um réveillon tão maravilhoso. Feliz 2017 e um Ano Novo  com a Graça do nosso bom Deus e com muitas realizações pessoais, espirituais, materiais, etc!!

Conheça todos os posts do blog através desse link

Hambúrguer Gourmet: harmonização com cervejas e vinhos

“A sabedoria não vem automaticamente com a idade. Nada vem – exceto rugas. É verdade, alguns vinhos melhoram com o tempo, mas apenas se as uvas eram boas em primeiro lugar.” (Abigail Van Buren)

13237779_1172830582735446_2015164104897693735_n

Introdução

Amigos, hoje iremos falar sobre a comida que, provavelmente, simboliza todo o conceito de modernidade e globalização com seus fast-foods: o hambúrguer. Desmistificaremos também a idéia de que hambúrguer é um fast-food e, por esse motivo, não pode ser considerado como uma comida de verdade ou, sendo mais preciso, fazer parte da haute cuisine.

História do hambúrguer

Apesar de ser uma comida considerada como simplória pela grande maioria das pessoas, a história do hambúrguer pode ser considerada como um romance, onde há casos de muitas felicidades e também de muito choro e tristezas.

Não obstante ao fato de haver relatos romanos sobre o uso de carne moída na alimentação, o primeiro relato expressivo de que se tem notícia data-se da época de Gengis Khan e suas hordas mongólicas.

mongol-invasion

Dentre várias das características que renderam a Temudjin (o nome verdadeiro de Gengis Khan, pois esse termo significa o grande Khan ou grande líder) o título de maior conquistador de territórios da história (conquistou o equivalente a quase 3 vezes o tamanho do Brasil) foi a letalidade do seu exército.

genghis_khan

Os mongóis eram donos de uma logística impressionante para sua época, mas isso se dava pelo fato deles não pararem de cavalgar nem mesmo para comer. Sua principal fonte de alimento era carne de cavalo, a qual não a cozinhavam. Eles guardavam pedaços dela embaixo das celas dos cavalos. Então, devido ao movimento de fricção, elas esmigalhavam e “coziam” com o calor, dando origem a primeira forma de hambúrguer conhecido da história.

Após a conquista de Moscou, os mongóis apresentaram essa “carne esmigalhada” para os habitantes daquele lugar, o que futuramente originou o prato clássico conhecido como Steak Tartare.

steak_tartar

Porém a palavra sandwich não seria criada até o século 18. Muitas culturas reclamam terem inventado o sanduíche, porém esse nome surge no ano 1765 e foi dado em honra ao aristocrata inglês John Montagu, 4th Earl of Sandwich. O epônimo do sanduíche era viciado em jogar cartas e, por isso, preferia comer sanduíches porque assim ele poderia continuar jogando cartas sem sujar as mãos. Reza a lenda que ele estava há várias horas num jogo de cartas e, de forma a continuar jogando, ele pede ao seu cozinheiro que trouxesse algo para ele comer de forma que ele não sujasse as mãos. O cozinheiro então tosta dois pedaços de pão e adiciona carne moída assada. Surge assim o primeiro hambúrguer.

John_Montagu,_4th_Earl_of_Sandwich.jpg

Porém, a primeira receita de hambúrguer como nós conhecemos só vem a surgir no ano 1840 nos EUA em New York com a cozinheira Elizabeth Leslie, que a introduziu no seu famoso livro de receitas “Directions for Cookery”.

Porque o uso do termo Gourmet nas comidas?

Há uma tendência grande nos restaurantes e bistrôs Brasileiros de se usar o termo Gourmet em todas as comidas de forma a incrementar o valor das comidas. Mas de onde vem esse termo?

Gourmet é uma profissão na França. Empresas alimentícias contratam pessoas que possuem um paladar muito apurado para testar seus produtos. Então, quando se diz que uma comida é Gourmet, significa que ela é feita para agradar até mesmo essas pessoas de paladar muito aguçado.

Harmonização

Amigos, hoje eu não serei o cozinheiro. Estou na casa do meu amigo Lucas Mitraud no evento da Confraria Távola Di amici (amigos e familiares) em que cada um dos presentes trouxe uma bebida própria para harmonizar com o hambúrguer feito pelo Lucas. Abaixo tecerei alguns comentários.

IMG_20161210_130227822.jpg

IMG_20161210_131003622.jpg

Pode-se perceber na mesa vários tipos de pãos para hambúrguer. Nota-se principalmente o pão de Brioche e o australiano (que são famosos nas receitas de hambúrgueres gourmet).

IMG_20161210_143448727_HDR.jpg

O hambúrguer de sua receita é um blend de fraldinha com bacon:

IMG_20161210_130156161.jpg

IMG_20161210_142215618.jpg

IMG_20161210_142221360.jpg

IMG_20161210_144155942.jpg

IMG_20161210_144206628.jpg

Para harmonizar com cervejas, há alguns tipos que combinam muito: American Pale Ale (APA), Índia Pale Ale (IPA), Weizenbier (trigo), Witbier (trigo com receita belga) e as Ale diversas.

IMG_20161210_143049914.jpg

IMG_20161210_143109756.jpg

IMG_20161210_143143504.jpg

IMG_20161210_143120660.jpg

IMG_20161210_150104388_HDR.jpg

IMG_20161210_150315313_HDR.jpg

IMG_20161210_152248238.jpg

IMG_20161210_153602525.jpg

IMG_20161210_163407339.jpg

IMG_20161210_165051390.jpg

IMG_20161210_165124825.jpg

IMG_20161210_165305188.jpg

IMG_20161210_145404740.jpg

A harmonização com vinhos é feita principalmente com a uva Malbec devido ao churrasco e aos molhos mas também combina muito bem com outros vinhos como alguns exemplares da região do Alentejo em Portugal.

IMG_20161210_131313884.jpg

IMG_20161210_133428423.jpg

IMG_20161210_133442897_HDR.jpg

IMG_20161210_170623067.jpg

IMG_20161210_145809042.jpg

IMG_20161210_150626830.jpg

Até com uísque fica boa a combinação. Esse é um uísque escocês que possui uma particularidade interessante: é feito com maltes defumados. Infelizmente é bem difícil de encontrar no Brasil.

IMG_20161210_130321819.jpg

Digestif

As pessoas às vezes me perguntam sobre com que o vinho do porto harmoniza. E aqui vai a resposta: doces e chocolates. A harmonização será feita com um Fondant au chocolat (chamado no Brasil erroneamente de Petit Gateau). Créditos da Receita para minha Tia Sônia Vilela.

IMG_20161210_153314264.jpg

IMG_20161210_131451818.jpg

IMG_20161210_154200121.jpg

E para fecharmos com chave de ouro vamos de licor Sheridan’s

IMG_20161210_154742014_HDR.jpg

Conclusão

Gostaria de deixar registrado meus parabéns ao meu amigo Lucas, sua receita ficou estupenda. Como diríamos na Marinha: Bravo Zulu! Todas as bebidas apresentadas harmonizaram perfeitamente com a receita.

Conheça todos os posts do blog através desse link

Merlot, Bento Gonçalves e Pizza Gourmet

“O enólogo é o cara que, diante do vinho, toma decisões e o enófilo é o cara que, diante das decisões, toma vinho!” (Luiz Groff)

merlot-grapes-guide
Fonte: http://winederlusting.com/

Introdução

Finalmente teremos nossa primeira parada no Brasil meus amigos! E o post de hoje terá o objetivo de revelar uma grande verdade incógnita de muitos: no Brasil se faz bons vinhos!

É bem verdade que as pessoas desconhecem esse fato porque realmente na história do Brasil nunca houve vinhos de destaque como vemos hoje até pouquíssimo tempo. Recentemente um amigo Francês me enviou uma série de artigos de revistas francesas enaltecendo os vinhos Brasileiros: na última copa do mundo vários bons entendedores e degustadores de vinhos do mundo todo (principalmente da França) ficaram maravilhados com a qualidade dos vinhos brasileiros não apenas dos espumantes mas também dos tintos.

galeria_10201_0523095608
Principal revista de vinhos francesa, La Revue du Vin de France de maio de 2014

E, dentre as uvas mais bem adaptadas no Brasil, nenhuma se habituou tão bem como a Merlot e por isso ela será empregada por nós como perspectiva vitícola iconólatra brasileira!

Breve História da Viticultura Brasileira

O primeiro registro histórico de que se tem notícia sobre a primeira plantação de uvas viníferas no Brasil foi feita pelos colonizadores portugueses em 1532, através de Martin Afonso de Souza, na então Capitania de São Vicente, hoje Estado de São Paulo, com resultados desanimadores devido ao clima quente e úmido. Diz-se então que os bandeirantes foram os primeiros a alastrar a cultura da uva pelo território brasileiro.

martim-afonso-de-souza

Porém, desde o princípio, os vinhos feitos no Brasil eram de baixíssima qualidade e com uvas inadequadas para a viticultura. Conforme o Brasil ia crescendo, ficando rico, algumas pequenas indústrias iam surgindo, fato que retirava um bom número da receita de Portugal. Então, como o Brasil era uma colônia, a rainha Dona Maria I baixa um alvará em 5 de janeiro de 1785 proibindo toda a atividade manufatureira no Brasil. Nada podia ser transformado e depois vendido, tudo tinha que vir de Portugal. Isso acabou sepultando a jovem indústria vitivinícola no Brasil. Esse alvará só viria a cair com a chegada da família real futuramente.

Entre 1870 e 1875 teve início a colonização italiana na Serra Gaúcha, instalando-se uma colônia com hábitos ligados ao vinho, que inicialmente elaborou vinhos de mesa para consumo próprio e em seguida avançou produzindo para o consumo de toda a região sul.

Apenas em 1970, com a chegada ao Brasil das primeiras multinacionais do vinho, foram implantados vinhedos de uvas viníferas, sendo esta a data de início da vinicultura fina em nosso país.

Muitas famílias descendentes dos primeiros imigrantes italianos entenderam bem o que se passava e não deixaram escapar a oportunidade de se profissionalizarem oficialmente, criando então novas empresas ou solidificando as já existentes com um alto nível de sofisticação técnica e muito conhecimento empresarial. Daí surgem Miolo, Pizzato, Lovara, Dal Pizzol, Dom Cândido, Valduga, Lidio Carraro, Dom Giovanni, Pedrucci, Marson, Valmarino e tantos outros que, junto dos mais antigos como Cooperativa Aurora, Salton, Cooperativa Garibaldi, La Cave, redesenham todo o cenário vinícola nacional. Desde então a qualidade dos vinhos brasileiros somente vêm evoluindo de maneira espantosa.

Características da Merlot

Se a Cabernet-Sauvignon encontra-se como a referência número 1 no que tange ao quesito de cepas tintas, com toda a certeza a número 2 é a Merlot. Essa que é ingrediente importante de alguns dos melhores e mais caros vinhos do mundo, como alguns crus produzidos pela vinícola Petrus que são vendidos no Brasil com um valor médio de 40 mil reais!!!

image_3193177_full

A palavra “merlot” significa “pequeno merle”, ou melro, em francês, um pequeno pássaro preto comum na Europa. Originária da região de Bordeaux, na França, a Merlot é descendente da Cabernet Franc e meia irmã da Carménère e da Cabernet Sauvignon. Os primeiros registros oficiais são recentes, de 1784 em Bordeaux.

E o que torna a merlot tão conhecida e amada por muitos é o fato de que ela é muito semelhante à Cabernet-Sauvignon porém com taninos bem menos intensos. Vinhos produzidos com ela possuem média tanicidade, o que os tornam fáceis de harmonizar com muitos tipos diferentes de comida. Os aromas típicos de um vinho à base de Merlot são os frutados de amora, morango, framboesa, cereja, ameixa, groselha e figo, os florais de rosas e violetas, os derivados de carvalho, como cedro, cacau, tabaco, baunilha e fumaça, os herbais, como menta e louro, e os de especiarias, como canela, cravo, alcaçuz e café.

9d793b825ff001f1e44b112ef3a9c5a9
Fonte: https://faberpartner.de/

 Harmonização

Conforme mencionamos no post atual, a merlot é uma uva que produz vinhos com tanicidade média e, isso significa dizer que, a quantidade de harmonizações possíveis com essa uva é colossal. Mas hoje irei combiná-la com uma receita que aprendi com um amigo na Marinha: Pizza 4 queijos gourmet.

Vinho de escolha: Salton Desejo Merlot, 2008

Escolher um vinho que sirva de exemplo de como o Brasil possui coisa boa não é fácil devido à alta variedade, mas a nossa escolha será feita baseada na grande propaganda e comentários que esse vinho possui em todo o mundo. O salton desejo merlot é uma verdadeira obra de arte aprovada por diversos conhecedores de vinho no mundo todo. Arrisco-me a dizer que nenhum vinho tinto brasileiro ganhou tamanha repercussão como ele. Basta ir ao youtube e ver a quantidade de comentários e críticas sobre ele ou adquirir revistas estrangeiras famosas como a mostrada no começo do post (La revue du vin de France) para se ter uma idéia da grandiosidade dele.

img_20161125_204327007

É também um vinho considerado de guarda e envelhecido (9 anos na garrafa). Antes de ser engarrafado ele passa cerca de 1 ano em barrica de carvalho francês (podendo ser considerado um gran reserva) e 1 ano envelhecendo na adega antes de ser posto para venda. Uma das características de um vinho de guarda é a espessura da sua garrafa.

img_20161125_204507888

Receita da Pizza

Para essa pizza será necessário 1kg de Farinha de trigo de boa qualidade

img_20161125_185135016

½ copo de óleo

IMG_20161125_185148114.jpg

1 a 3 copos de leite

IMG_20161125_185812876.jpg

1 tablete de fermento biológico para pizzas e pães

IMG_20161125_185237637.jpg

Colocamos a farinha de trigo e depois juntamos os ingredientes aos poucos até a massa “descolar” da mão:

IMG_20161125_185605528.jpg

IMG_20161125_185832570.jpg

IMG_20161125_190008187.jpg

IMG_20161125_190113801.jpg

IMG_20161125_191205056.jpg

Depois da massa pronta, ela deve descansar por um tempo entre 2,5 a 3 horas para ela “crescer”. Após esse tempo:

img_20161125_212152388

Antes de trabalharmos a massa pré-aquecemos o forno e levamos a pedra para aquecer:

IMG_20161125_211928349.jpg

IMG_20161125_212039755.jpg

Agora trabalhamos a massa

IMG_20161125_212321765.jpg

IMG_20161125_212414592.jpg

IMG_20161125_212737214.jpg

IMG_20161125_213151165.jpg

Adicionamos o molho de tomate com um pouco de azeite e orégano:

IMG_20161125_213500635.jpg

Após colocamos o queijo mozzarella (muçarela)

IMG_20161125_213706312.jpg

Ralamos os queijos provolone e parmesão e colocamos o gorgonzola por cima

IMG_20161125_213737313.jpg

IMG_20161125_213746453.jpg

IMG_20161125_213755871.jpg

IMG_20161125_214548479.jpg

Levamos a pizza ao forno até que o queijo todo derreta e a massa fique dourada:

IMG_20161125_214626098.jpg

E finalmente ela estará pronta:

IMG_20161125_222200366.jpg

Conclusão

Et voilà, ficou um espetáculo essa combinação:

IMG_20161125_222837912.jpg

IMG_20161125_230638027.jpg

 

O vinho é realmente um espetáculo e em qualidade assemelha-se à linha Marquês de Casa Concha da Concha Y Toro. Nessa última foto pode-se perceber a diferença de um vinho envelhecido para um vinho jovem. O salton desejo 2008 possui coloração bem mais “tijolo” que os outros vinhos mais jovens. Viva o Brasil, Viva o Rio Grande do Sul e Viva Bento Gonçalves!!!!!

Conheça todos os posts do blog através desse link